CINEMA AO AR LIVRE DE IMBÉ-RS

No próximo dia 11 começa a primeira edição do projeto Circuito de “Cinema ao ar livre de Imbé“, numa parceria do Nidi (Núcleo Imagem e Dança de Imbé) e Espaço Mi Casa Cultural @micasa_cultural. A proposta é criar um circuito que valorize a sétima arte, especialmente com produções de artistas locais. A projeção ao ar livre pretende suprir a ausência de salas de cinema no município e trazer a experiência que acontece em várias cidades pelo mundo de reunir o público para apreciar filmes em projeções ao ar livre.

Nessa primeira edição a programação inclui obras que exploram narrativas de vídeo e dança gravadas no litoral gaúcho com o projeto Litorâneas, femininos possíveis em dança. O primeiro curta metragem,” O reverso da noite” tem como protagonista a bailarina e coreógrafa de Imbé Tati Missel, numa atmosfera da magia feminina em meio às forças da natureza. Em “O Avesso do tempo”, a protagonista é a bailarina de 66 anos e muletante Denise Brose num poético exercício visual que evoca lembranças para tecer uma delicada e sutil coreografia às margens da Lagoa da Fortaleza.

O projeto Litorâneas femininos possíveis em dança conta com 7 videodanças que vão ser projetados um sábado por mês ao longo do ano (2 vídeos cada sábado) na MI Casa Cultural.

A produção é do NIDI e conta com o apoio do Coletivo Pomar Poético @pomarpoetico, Rede Poder Mulher @redepodermulher e RRPP Eventos @rrppeventos.

O valor do ingresso é R$ 25,00 e já estão à venda.

Informações com Juliana (51)99116-2351

Sobre o Nidi.

Núcleo Imagem e Dança de Imbé

Núcleo destinado a produções de artistas da dança e audiovisual no município de Imbé, para fomentar, aprimorar e desenvolver ações de produção, pesquisa e formação no audiovisual e na dança com interfaces com a fotografia/vídeo/cinema, integrando outras áreas como poesia, artes plásticas, circo e música.

O NIDI surge como proposta para ampliar ações colaborativas entre dança e audiovisual que já estavam sendo desenvolvidas antes e durante a pandemia, buscando identificar artistas e espaços de dança no Litoral Norte para buscar parcerias de criação que pudessem evidenciar esses talentos.

Núcleo no dicionário é um espaço de onde ou para onde convergem outros elementos. É com esse ideal que nasceu o NIDI: ser um espaço de geração de ações artísticas, mas também de acolhimento, partilha, intercâmbio que tem na dança e no audiovisual o ponto de partida para conexões e trocas. E que estabelece o litoral do RS como território de semear e frutificar essas ações.

Litorâneas, femininos possíveis em dança

O projeto criado em 2021 abordou o universo feminino na sua diversidade através da dança em cenários do litoral norte. Dunas, mar, lagoas, cachoeiras, morros, mata nativa. A diversidade ambiental e geográfica da região como cenário para diversidade de corpos dessas sete mulheres que dançam. Mulheres gaúchas do litoral ou convidadas para desbravar o litoral. Mulheres maduras e jovens, negras, trans, mães, professoras, periféricas, multiétnicas, multiculturais. Histórias inscritas no corpo e emolduradas pela natureza.

Litorâneas foi idealizado pelo NIDI – Núcleo Imagem e Dança de Imbé, que tem como fundadores e diretores Marcelo Cabrera, Airton Tomazzoni e Tati Missel, e foi contemplado no Edital de Criação e Formação Diversidades das Culturas com recursos da Lei Aldir Blanc nº 14.017/20.

Comente